terça-feira, 20 de agosto de 2013

Fluxo pastoso

Salve amigos eletrônicos e Cia, abaixo ilustraremos uma dica valiosa para com o fluxo pastoso, aquele tão “caro” e precioso, mas que com ele fazemos uma invejável soldagem, que além de boa aparência nos dará velocidade na hora do reparo e ou montagem dos componentes na placa de circuito impresso.

Para nossa empreitada, utilizaremos uma seringa  comum de 20ml com agulha fina de metal, se caso conseguir uma mais grossa não tem problema, se bem que a fina funcionará muito bem para essa finalidade.




Notem que cortamos a agulha com aproximadamente 1 cm de comprimento, pois o fluxo sendo pastoso, no dias frios ele tende a ficar mais sólido, ficando extremamente difícil de passar pela agulha fininha, sobre isso trataremos logo mais, com a agulha pronta, iremos agora envazar o fluxo da seringa original para a nossa de 20ml.




Para empurrar o êmbolo utilize um objeto que tenha aproximadamente o mesmo diâmetro interno da seringa, pois se o êmbolo virar na hora de empurrar o mesmo vai fazer uma baita sujeira e desperdiçar fluxo, após passar o conteúdo de uma seringa para a outra, basta retirar o ar interno e testar, será preciso um pouquinho de força no dedão para fazer o fluxo passar pela agulha fina, mas o que vai sair é o suficiente para realizar uma boa soldagem e com o benefício de economizar na aplicação.




Uma dica boa na utilização no dia a dia é deixar a seringa em um local aquecido para que o fluxo ficando mais amolecido saia pela agulha fina, mais facilmente e sua aplicação seja mais prática, sempre deixamos nossa seringa encima do suporte do soldador da estação de solda, o calor que emana do soldador quando no suporte é o suficiente para deixar o fluxo menos pastoso.

Também com isso pode-se sempre ao término do trabalho puxar o êmbolo de volta para que não se corra o risco de fluxo amolecer demasiadamente e vazar pela agulha, causando desperdícios e ou acidentes.




Pelos anos utilizados, podemos atestar que dura muito tempo com esse método acima mesmo se tratando de um produto não tão corriqueiro na bancada do montador e ou reparador, por aparentar ser um produto caro, se pegarmos o valor de 10g e dividir, por exemplo, 18 meses o preço final é pequeno diante dos benefícios trazidos.
Já tive seringas com aproximadamente 2 anos e mesmo estando com um ano de vencimento o produto continuará tão eficaz com de início, hoje não ficamos sem, tanto nas montagens como nos reparos, pois além de ficar um excelente trabalho de soldagem, ganhamos velocidade no trabalho.
Por hora é só pessoal, tendo mais detalhes e dicas atualizaremos a página.


Márcio R. Ortolan

Nenhum comentário:

Postar um comentário